Paróquia Santa Luzia

Paróquia Santa Luzia
...

8 de out de 2012

DOUTORES DA IGREJA - Confira ainda a lista completa

PAPA proclamou, neste domingo, 7 de outubro, dois novos doutores da Igreja.  
Doutores da Igreja são homens e mulheres reverenciados pela Igreja pelo especial valor dos seus escritos, pregações e a santidade de suas vidas.

Bento XVI proclamou neste domingo dois novos Doutores da Igreja: Santa Hildegarda de Bingen e São João de Ávila.

 
Na celebração eucarística deste domingo, 7, Bento XVI proclamou Doutores da Igreja Hildegarda de Bingen, Abadessa beneditina (1078-1179) e o padre espanhol João de Ávila (1500-1569). A Rádio Vaticano entrevistou o card. Amato, Prefeito da Congregação para as causas dos santos. 
 
- O título de Doutor da Igreja Universal é conferido àqueles santos e santas, como precisamente Santa Hildegarda de Bingen e São João D'Ávila, que, com a sua eminente doutrina, contribuiram ao aprofundamento do conhecimento da Revelação Divina , enriquecendo o património teológico da Igreja e ajudando os fieis a crescerem na fé e na caridade.

De um ponto de vista teológico, os Doutores da Igreja evidenciam aspectos inéditos da verdade evangélica. De um ponto de vista pastoral, suscitam nos fieis um renovado apelo à coerência de vida.

- Pode dizer alguma coisa sobre a "eminente doutrina" de Hildegarda de Bingen?

- A benedetina alemã Hildegarda de Bingen, fundadora e abadesa de dois mosteiros, nas suas obras enuncia uma doutrina exímia por profundidade, originalidade e fidelidade à revelação. Animada por uma autêntica caridade intelectual, ela ilustra com densidade de conteúdo e frescura de linguagem o mistério de Deus Trindade, da Encarnação, da Igreja, da Humanidade. Para Hildegarda, por exemplo, o ser humano é visto como uma unidade corpo-alma com uma admiração positiva da corporeidade por ordem de mérito. Que o corpo não tenha sido concedido ao Homem apenas como um peso demonstra-nos o facto que as almas dos santos desejam ardentemente a reunificação com o seu corpo mortal. Por consequência, o cumprimento escatológico significa uma transformação e uma ressurreição do corpo para a vida eterna.

E o que nos pode dizer de São João D'Ávila?
O espanhol São João D'Ávila, que viveu entre os anos 1500 e 1569, foi um dos mestres espirituais mais prestigiados e consultados do seu tempo. Recorreram à sua sabedoria para uma orientação da vida, entre outros, Santo Inácio de Loyola, São João de Deus, São Francisco de Borja, São Tomás de Vilanova, São Pedro de Alcântara, São João de Ribera, Santa Teresa de Jesus, São João da Cruz. Era também um excelente catequista e pregador e não deixou de fazer um uso magistral da escrita para expor os seus ensinamentos.

Qual a sua principal obra e que influência pode ter nos dias de hoje?
A sua obra principal Audi Filia, é um clássico da espiritualidade católica. Outros escritos excelentes são La Doctrina Cristiana, síntese pedagógica para a instrução da fé; o Tratado del Amor de Dios, uma jóia literária, que aprofunda com sabedoria o mistério de Cristo Redentor e ainda o Tratado sobre el Sacerdocio.
Uma sua peculiaridade é a afirmação da sua chamada universal à santidade para todos os batizados, sobretudo para os sacerdotes. Ao longo dos séculos os seus escritos foram de grande inspiração para a formação dos sacerdotes e para a educação dos leigos.

Como se chega a Doutor da Igreja?
São principalmente os pastores e os fieis da solicitar ao Santo Padre o cumprimento deste passo. Naquilo que diz respeito Hildegarda de Bingen, por exemplo, em uma das últimas petições datada de 1979, os bispos católicos pediam com insistência o doutoramento para a santa abadesa beneditina. Entre os assinantes da súplica em terceiro lugar está a assinatura do então Cardeal Joseph Ratzinger. Obviamente, a parte da santidade, o critério principal para ser doutor da Igreja é a avaliação da eminens doctrina.

E no caso de São João d'Ávila?
O movimento para a sua promoção a Doutor da Igreja começou logo na altura da sua canonização, em 1970. O título de Mestre, atribuído tradicionalmente ao Santo, motivava hipóteses de vir a ser doutor, proposta promovida sobretudo pela Conferência Episcopal Espanhola. Era evidenciado o carisma de sabedoria a ele conferido pelo Espírito Santo para o bem da Igreja e a influência benéfica dos seus ensinamentos no povo de Deus e sobretudo nos sacerdotes


VEJA A LISTA COMPLETA DOS DOUTORES DA IGREJA


Quatro Grandes Doutores Latinos
1. São Gregório Magno, Papa de Roma (540-604)
2. Santo Ambrósio, Bispo de Milão (340-397)
3. Santo Agostinho, Bispo de Hipona (354-430)
4. São Jerônimo, monge e tradutor da Bíblia (347-420)
Proclamados pelo Papa Bonifácio VIII em 1298
 
5. Santo Tomás de Aquino, frade (1225-1274) – proclamado em 1567 por São Pio V
 
Quatro Grandes Doutores Gregos
6. São João Crisóstomo, Patriarca de Constantinopla (348-407)
7. São Basílio Magno, Bispo de Cesareia (330-379)
8. São Gregório Nazianzeno, Patriarca de Constantinopla (329-390)
9. Santo Atanásio, Patriarca de Alexandria (298-373)
Proclamados pelo Papa São Pio V em 1568

Demais Doutores Universais
10. São Boaventura, frade (1221-1274) –proclamado em 1588
11. Santo Anselmo, Arcebispo de Cantuária (1033-1109) – proclamado em 1720
12. Santo Isidoro, Bispo de Sevilha (560-636) – proclamado em 1722
13. São Pedro Crisólogo, Arcebispo de Ravena (406-451) – proclamado em 1729
14. São Leão Magno, Papa de Roma (400-461) – proclamado em 1754
15. São Pedro Damião, Cardeal (1007-1072) – proclamado em 1828
16. São Bernardo de Claraval, monge (1090-1153) – proclamado em 1830
17. Santo Hilário, Bispo de Poitiers (300-367) – proclamado em 1851
18. Santo Afonso de Ligório, Bispo (1696-1797) – proclamado em 1871
19. São Francisco de Sales, Bispo de Genebra (1567-1622) – proclamado em 1877
20. São Cirilo, Patriarca de Alexandria (376-444) – proclamado em 1883
21. São Cirilo, Bispo de Jerusalém (315-386) – proclamado em 1883
22. São João Damasceno, monge (675-749) –proclamado em 1883
23. São Beda, o Venerável, monge (672-735) – proclamado em 1899
24. Santo Efrém, monge e diácono (306-373) – proclamado em 1920
25. São Pedro Canísio, sacerdote (1521-1597) – proclamado em 1925
26. São João da Cruz, frade (1542-1591) –proclamado em 1926
27. São Roberto Belarmino, Cardeal (1542-1621) – proclamado em 1931
28. Santo Alberto Magno, Bispo de Regensburg (1206-1280) – proclamado em 1931
29. Santo Antônio de Pádua, frade (1195-1231) – proclamado em 1946
30. São Lourenço de Bríndisi, frade (1559-1619)– proclamado em 1959
31. Santa Teresa d’Ávila, monja (1515-1582) – proclamada em 1970
32. Santa Catarina de Sena, leiga (1347-1380) – proclamada em 1970
33. Santa Teresa de Lisieux, monja (1873-1897) – proclamada em 1997
34. São João de Ávila, sacerdote (1500-1569) – proclamado em 2012
35. Santa Hildegarda de Bingen, monja (1098-1179) proclamada em 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário